Find the latest bookmaker offers available across all uk gambling sites www.bets.zone Read the reviews and compare sites to quickly discover the perfect account for you.
Home / Notícias / Acusados de matar torcedor com privada vão a julgamento no Recife

Acusados de matar torcedor com privada vão a julgamento no Recife

O torcedor Paulo Gomes Ricardo da Silva, 26 anos, morre ao ser atingido por um vaso sanitário após a partida envolvendo Santa Cruz e Paraná, no Estádio do Arruda, em Recife, PE. O torcedor era fotógrafo de um site que tira fotos das partidas do Sport, e tinha ligação com uma organizada do clube pernambucano. Aldo Carneiro/Futura Press

O torcedor Paulo Gomes Ricardo da Silva, 26 anos, morreu ao ser atingido por um vaso sanitário após a partida envolvendo Santa Cruz e Paraná,
no Estádio do Arruda, em Recife, PE. O torcedor era fotógrafo de um site que tira fotos das partidas do Sport,
e tinha ligação com uma organizada do clube pernambucano. Aldo Carneiro/Futura Press.

Os três réus são acusados de homicídio consumado e mais três tentativas.
Eles jogaram 2 privadas do Arruda, matando um torcedor, ferindo mais 3.

Vão a julgamento nesta terça-feira (16) os três acusados pela morte do torcedor do Sport que foi atingido por um vaso sanitário no Estádio do Arruda, na Zona Norte do Recife, em maio de 2014. Os réus, que estão presos desde o ano passado, serão julgados por homicídio consumado e três tentativas de homicídio duplamente qualificado, já que os estilhaços das privadas também provocaram ferimentos em mais três torcedores.

O júri está marcado para as 9h na 2ª Vara do Tribunal do Júri do Recife, localizada no Fórum Desembargador Rodolfo Aureliano, na Ilha de Joana Bezerra, na Zona Sul da cidade. A família do torcedor assassinado, Paulo Ricardo Gomes da Silva, chegou cedo ao local. O pai da vítima, José Paulo Gomes, espera conseguir justiça pela morte do filho. “A gente espera que eles sejam condenados, porque esse foi um crime cruel, covarde. Eles tiraram a vida de um trabalhador, de um menino bom. A gente quer que tenha justiça. O Brasil todo espera por isso, porque o crime chocou todo o país”, afirma. Paulo tinha 26 anos e trabalhava como caldeireiro em uma empresa localizada no Porto de Suape, no Litoral Sul do estado.

Segundo o Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE), o júri popular que começa nesta terça-feira será presidido pelo juiz Jorge Luiz dos Santos Henriques e contará com a participação de sete jurados. Os integrantes do Conselho de Justiça serão sorteados logo no início do julgamento. Montado o júri, o juiz Jorge Luiz dos Santos Henriques lerá a denúncia que pesa sobre os réus Luiz Cabral de Araújo Neto, Waldir Pessoa Firmo Júnior e Everton Filipe Santiago Santana.
Ainda de acordo com o TJPE, os autos do processo apontam que Luiz e Waldir teriam arremessado dois vasos sanitários do alto da arquibancada do Estádio do Arruda com a participação direta de Everton. Os vasos atingiram e mataram instantaneamente o rubro-negro Paulo Ricardo Gomes da Silva, que estava na área externa do estádio. Mais três torcedores também foram feridos. O caso aconteceu em 2 de maio de 2014, após uma briga de torcidas que sucedeu o jogo entre o Santa Cruz e o Paraná, válido pela Série B do Campeonato Brasileiro.
Para a decisão de pronúncia, o juiz levou em consideração os laudos periciais do fato, assim como a audiência de instrução e julgamento do caso, realizadas em dezembro de 2014 e fevereiro deste ano, respectivamente. Quando foram presos, dias depois do ocorrido, os réus já confessaram ter atirado os vasos sanitários. Everton foi detido em 5 de maio de 2014 depois que a polícia recebeu informações sobre sua localização pelo Disque-Denúncia. Já Luiz foi preso no dia 8 do mesmo mês, no Rio Grande do Norte. Segundo os advogados deles, os dois confessaram ter arremessado os vasos sanitários em depoimento. Everton teria dito que não queria acertar ninguém, mas Luiz admitiu que jogou a privada para se vingar de uma briga travada com a torcida Jovem, do Sport. Todos os réus são torcedores do Santa Cruz.
Everton, o terceiro acusado, também foi preso em 8 de maio de 2014 no Recife. Em depoimento, ele contou que fazia parte da torcida organizada do time tricolor e conhecia os outros dois acusados. Ele ainda admitiu que ajudou a jogar as privadas da arquibancada, mas alegou que não tinha a intenção de atingir ninguém. Os objetos foram arremessados de uma altura de 24 metros, de acordo com o Instituto de Criminalística (IC). O professor de física Beraldo Neto avaliou a altura e calculou que os vasos chegaram ao chão com um peso de 350 quilos, cada um.
Quando a denúncia terminar de ser lida, nesta terça-feira, os três réus serão ouvidos para que seja iniciado o debate entre a defesa e a acusação do julgamento. Depois disso, os jurados se reunirão em uma sala reservada para decidir pela condenação ou absolvição dos réus. A decisão será anunciada em seguida pelo juiz Jorge Luiz dos Santos Henriques.

Fonte: G1

Sobre

Temos outras opções aqui!

É muito buraco em nossa cidade.

Rua Capitão José Primo está esburacada.   Olá Abreulimenses!  Já faz muito tempo que a ...

Um comentário

  1. O julgamento dos acusados do assassinado do torcedor atingido por um vaso sanitário no Recife. Vai virar uma grande farça. Por esta razão ele esta sendo adiado propositadamente, em função de boicote acordado pelos advogados. Ocorre que um fato relalvante esta sendo escondido da sociedade. No dia do occorido dois policiais civis estavam envolvidos no caso, sendo um policial e o outro um delegado da policia civil dos estado de Pernambuco, que fazem parte da mesma torcida organizada que os acusados participam. Eles ja haviam loivrado a cara dos mesmos acusados em um caso de morte de torcedor ocorrido no interior do estado, e em varios outros casos de brigas de torcidas, isso porque eles fazem parte da mesma torcida organizada dos acusados. Alem de terem participações em outros crimes.Na realidade eles fazem parte de uma grande guadrilha no qual outros policiais e o delegado envolvido são os chefes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *